GOLDFRAPP

Alison Goldfrapp e Will Gregor formam o GOLDFRAPP misturando criatividade,autenticidade,moda e música eletrônica-pop.Desde quando eu comecei a ouvir já fiquei pasma com a voz da Alison (das gravações pro live tem pouquíssima diferença,ou nenhuma),as fotos,e as roupas aaaah as roupas cada uma mais absurda que a outra,o que eu não imaginava é que a própria Alison que cria os bafos todos,daí que ela deu uma entrevista pra NYLON contando sobre design e outras produções da golden-girl,e eu bem que tentei traduzir coerentemente,né.

Eu já ouvi muito sobre os seus trajes desta turnê-você mesma fez o design deles?
Eu desenho tudo. A única vez que eu  procuro um estilista é quando não tenho tempo de eu mesma fazer alguma coisa . Eu costumava fazer isso; seria trailing em volta da loja, comprando coisas para a banda e, em seguida, antes de um show eu seria engomadora de camisas do povo.

Qual foi a gênese criativa por trás dos trajes sobre esta turnê?

Realmente nunca é uma coisa só que me inspira,é sempre um monte de coisas. Antes de Seventh Tree, fizemos isso muito no alto-brilho, muito frio, um pouco irreal em um álbum artístico que foi inspirado na fantasia. Considerando que este período de tempo, eu queria que as coisas fossem muito mais quentes e terem mais uma aparência natural.

Suponho também que eu queria uma espécie de jogo. Tal como, com o padrão de harlequim , que é uma imagem que todos conhecem, e não é particularmente masculina ou feminina. Penso que isto é uma outra coisa que, desta vez, eu realmente gosto. Antes era fada, glamour, e feminina. Desta vez eu gostei da idéia de ter algo que não era assim tão sua cara.

Você sente como que a criação estilisticamente se reflete sonoricamente em Seventh Tree?
Definitivamente. Para mim, as imagens e as músicas fazem muito parte do mesmo mundo. A música é visual, penso eu. E quando você estiver escrevendo letras, elas são visuais. Então, tudo evolui em tipos de outros.

Por você sentir que a música é tão visual, você prefere viver a realização, por exemplo, gravação?
É evidente que a escrita é uma coisa que eu tenho que fazer. E a parte visual de que fazemos não iria acontecer se não fosse pela escrita. E a parte “ao vivo” não iria acontecer se não fosse por isso. Portanto, suponho que a escrita é o que dá luz as idéias, e isso é bastante espantoso. Eu amo tocar ao vivo, embora não seja a parte mais criativa do processo, essencialmente porque você está repetindo algo.

Como foi lidar com a resposta de Seventh Tree, que foi considerado como uma partida do seu som anterior?

Eu tento não pensar sobre isso. O percurso teria sido fácil se eu fizesse outro Supernature que foi muito bem sucedido comercialmente. Muita gente teria prazer, tenho certeza. Mas nós conscientemente quisemos fazer algo diferente. Não vale fazê-lo agarrados a uma fórmula, você pode apenas se dar tão bem quanto a qualquer um que usasse a mesma fórmula. Mas também naturalmente você muda, seus sentimentos mudam,seus humores mudam, e o que você faz musicalmente é o que está acontecendo na sua vida naquele momento. A minha vida pessoal mudou enormemente, e por causa dos meus sentimentos sobre coisas,os quais mudaram muito.

Você está sempre desiludindo pessoas. Você vai decepcioná-los querendo ou não,fazendo denovo o que fazia antes, ou decepcioná-los porque você fez algo completamente diferente e eles dirão “eu não gosto disto.” Então você só tem que seguir seus instintos e fazer aquilo que se sente bem.

http://www.nylonmag.com/?section=article&parid=1981

Anúncios

Os comentários estão desativados.